Emprego de Arquiteto em uma Construtora!

"Olha lá, uma viga fora de nível!"

Para quem está começando a vida profissional, trabalhar em uma construtora pode ser uma experiência ótima e que possibilita desenvolver diversas habilidades. Não só da área técnica, mas habilidades interpessoais também.

De quebra, você vai descobrir muitos de seus pontos fortes e fracos a trabalhar, e ganhará mais auto-confiança.

Antes do artigo propriamente dito, vou apenas falar bem rapidamente sobre a minha experiência com isso:

Tive a oportunidade de trabalhar na construção de um shopping center para uma holding multinacional, a Gazit-Globe, uma das líderes mundiais em investimentos imobiliários, que tem uma subsidiária no nosso país, a Gazit Brazil. Prestei serviços como profissional terceirizado, dando assessoria técnica e assistência aos lojistas.

Grande experiência!

Obras desse tipo são diferentes de mais de 99% das obras que vemos no nosso dia-a-dia. Envolvem tecnologias diferenciadas, profissionais de mão de obra mais qualificados, sistemas e instalações completamente diferentes dos usuais aos quais estamos acostumados (elétrica, incêndio, ar-condicionado, etc.). É um mundo à parte.

Já tinha trabalhado em uma construtora ainda quando estava na faculdade, como estagiário, em uma obra residencial de alto padrão. Eram duas torres de 14 pavimentos com 28 apartamentos de mais de 300,00m² cada, e eu passava o dia inteiro na obra. Além de ter emagrecido de tanto ficar subindo e descendo escadas, aprendi muito lá também.

aula na obra

Mas por que você está falando disso, se o foco do blog é o empreendedorismo?

Porque achei que este artigo seria de grande valia para profissionais que ainda se sentem perdidos e não encontraram seu caminho no mercado, e também aos que realmente tem como foco atuar em construtoras. Não quero dizer trabalhar por toda a vida, mas sim trabalhar por algum tempo, para ganhar experiência e compreender suas próprias capacidades, habilidades e dificuldades.

Eu pessoalmente indico fortemente essa experiência, principalmente para os que estão em início de carreira, pois o o ganho em aprendizado é enorme. São vivências únicas, que dificilmente você terá se não estiver atuando dentro de uma grande empresa da construção.

Dá uma lida no artigo abaixo, vale muito a pena! Ele foi produzido pela Juliana Nakamura no portal PiniWeb, e reproduzo aqui no formato original, sem minhas tradicionais imagens e piadinhas sem graça.

 


Arquitetos que atuam em construtoras

 

Atuar em uma empresa que constrói pode não ter o mesmo glamour de estar em um badalado escritório de arquitetura ou de assinar trabalhos autorais. Em contrapartida, a experiência pode render conhecimentos valiosos para uma carreira sólida.

Trabalhar em uma construtora permite ao arquiteto vivência de todo o ciclo de produção do empreendimento, desde sua criação à avaliação do resultado final junto aos clientes. “O profissional tem a possibilidade de conhecer técnicas construtivas e patologias. Além disso, a interface diária com a engenharia possibilita uma troca muito interessante e produtiva para ambas as partes”, comenta a arquiteta da Patrimar Engenharia, Juliana Lembi.

 

GESTÃO DE PROJETOS
Coordenação e compatibilização dos projetos, elaboração de projetos executivos e especificação de materiais são as principais atividades realizadas por arquitetos no dia a dia de construtoras.

Na Método Potencial Engenharia, por exemplo, há atualmente 66 arquitetos que atuam principalmente na coordenação de equipes multidisciplinares, incrementando soluções de projetos preexistentes. Ricardo Marino Grassia, gerente de engenharia de projetos, conta que essa atuação é ainda mais importante em empresas que trabalham com o sistema fast track, onde os projetos têm prazos exíguos e são desenvolvidos simultaneamente à fase de construção.

 

SALÁRIOS E BENEFÍCIOS
Além do conhecimento e da experiência adquiridos, há o argumento financeiro para despertar o interesse dos arquitetos por oportunidades em construtoras. Em comparação com os escritórios de arquitetura, essas empresas geralmente possuem estruturas maiores e contratos de construção mais volumosos. “Essas condições, aliadas ao fato de o arquiteto de construtora trabalhar em contratos com maior responsabilidade financeira, propiciam uma condição de remuneração e/ ou benefícios melhor”, diz Ricardo, da Método.

“Os profissionais mais juniores tendem a ter melhores condições nas construtoras, que costumam oferecer mais benefícios. Já os profissionais mais maduros, com alto poder de contribuição, tendem a se desenvolver e ter melhores ganhos em escritórios que têm a arquitetura como o negócio principal”, pondera Ciro Barbosa, diretor de Pessoas & Organização e Sustentabilidade da Odebrecht Realizações Imobiliárias. A OR tem hoje 150 arquitetos em seus quadros, a maior parte deles jovens com menos de dez anos de formados.

Foi principalmente a possibilidade de participar de grandes projetos que despertou o interesse da arquiteta Patrícia Moreira Moura em trabalhar em construtora por quase seis anos. “A experiência foi muito rica pois pude participar de obras de alta complexidade, algo que, naquele momento, eu não poderia se ainda estivesse atuando em escritório de projeto próprio”, conta Patrícia, que atualmente é consultora, professora de arquitetura no Centro Universitário Metodista e diretora da Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas.

 

PERFIL TÉCNICO
Ao arquiteto que trabalha em uma construtora são esperadas características e vocações um pouco distintas das exigidas do profissional que trabalha em um escritório de arquitetura. “Demandamos dos profissionais competências como liderança, espírito de servir e muita habilidade interpessoal, combinadas com o domínio técnico necessário”, resume Ciro. “O profissional precisa ser ágil e assertivo. Frequentemente ele será demandado para atendimentos just in time, quando uma ou mais frentes de serviço necessitam do seu posicionamento imediato”, acrescenta Ricardo.

Como ocorre em outras áreas, a postura e o conhecimento do profissional são importantes para conquistar o respeito dos seus pares, conta Patrícia. “Cheguei a participar de reuniões em que eu era a única arquiteta em meio a 20 engenheiros”, lembra ela, que tinha a seu favor o fato de ter formação acadêmica em gestão de projetos na construção civil.

 

SEM VAIDADES
Dependendo do perfil da construtora, o arquiteto não exercerá atividade de projeto. Isso pode ser frustrante para o profissional que se preparou, durante sua formação acadêmica, para esta atividade. “Além disso, o arquiteto muitas vezes vai ser confundido com o engenheiro por causa da atuação direta na construção civil. Nessas horas, ele terá que ter maturidade para se posicionar corretamente, estabelecendo e valorizando sua atuação como arquiteto na construtora e no segmento”, pontua Ricardo.

O profissional que atua em construtoras também precisa estar ciente de que atuará dentro de uma estrutura mais rígida, onde a tomada de decisão não depende somente dele. “Para quem prefere a liberdade do trabalho autônomo ou tem a vaidade do trabalho autoral, estar em uma construtora pode ser um pouco difícil. O profissional precisa gostar de ser parte de um time”, alerta Patrícia.

 

COMO COMEÇAR
Por isso, antes de buscar uma vaga, é importante que o profissional avalie se o seu perfil é o adequado para a função. “Se ele tem interesse em fazer parte da rotina de uma edificação em desenvolvimento, deve se candidatar”, acredita Cintia Aparecida da Silva Vedovello, coordenadora de projetos da Método Potencial Engenharia.

Há oportunidades tanto para recém-formados quanto para seniores. O caminho é se inscrever nos programas de recrutamento da empresa (de estagiários e trainees, por exemplo) ou enviar seus currículos. “O olhar necessário para os estudos alternativos de engenharia e para gestão junto às equipes e ao cliente requer um profissional mais sênior. Já as áreas de controle de informações e análises críticas ficam destinadas aos juniores”, comenta Cintia, lembrando que a pós-graduação em gestão de projetos é uma especialização importante para quem almeja postos mais elevados.

 

Raio-X da atuação em construtora

Perfil desejável
Fácil relacionamento, especialmente para lidar com parceiros e clientes, comprometimento com o trabalho, pró-atividade, capacidade de lidar com pressão e mudanças constantes

Contratação
Diferentemente dos escritórios, que costumam trabalhar com formas de contratação alternativas, as construtoras contratam via CLT. As maiores podem oferecer benefícios como auxílio refeição e plano de saúde

Desafios
Atuar em uma estrutura corporativa mais rígida, interagir com profissionais com outras formações, conquistar o respeito dos colegas, lidar com o próprio ego

Como começar
As grandes construtoras contratam regularmente via programas de trainees. Para quem já passou dessa fase, ou procura uma oportunidade em uma construtora menor, vale mandar currículo enfatizando o interesse em atuar em uma empresa desse tipo.

 

Artigo Original por Juliana Nakamura – Portal PINI – Maio 2015
Imagens: Creative Commons


 

Espero que você tenha gostado do artigo. Deixe suas dúvidas e comentários. 🙂
Forte abraço!!

Acesse o campo de cadastro ao lado deste artigo e cadastre-se gratuitamente para receber CONTEÚDO EXCLUSIVO e dicas muito bacanas para se destacar como profissional de Arquitetura!

11 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *